Compartilhe

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Meditação Litúrgica - O Batismo do Senhor


O Baptismo de Cristo
Autor: John Nascimento 07-Jan-2011

João Baptista pregava no deserto da Judeia, clamando : "Preparai os caminhos do Senhor".

Então Vinham a ele, de Jerusalém, de toda a Judeia, e de toda a terra da região do Jordão; e, arrependendo-se dos seus pecados, eram por ele baptizados no Jordão.


E João dizia :

- “Eu baptizo-vos em água para vos mover ao arrependimento; mas Aquele que vem depois de mim é mais poderoso que eu e eu não sou digno de Lhe levar as sandálias . Ele baptizar-vos-á com o fogo do Espírito Santo”. (Mt.3/11).

E S. Mateus continua :

- “Então veio Jesus da Galileia ter com João, ao Jordão, para ser baptizado por ele..
João opunha-se, dizendo :"Eu é que tenho necessidade de ser baptizado por Ti. E Tu vens a mim"?

Jesus, porém, respondeu-lhe : -"Deixa isso por agora; convém que cumpramos assim toda a justiça". João, então, permitiu-o.

Uma vez baptizado, Jesus saiu da água e eis que os céus se Lhe abriram e viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e vir sobre Ele. E uma voz vinda do Céu, dizia : "Este é o Meu Filho muito amado, no Qual pus toda a minha complacência". (Mt.3/13-17).

Jesus Cristo quis receber o Baptismo, não por se considerar pecador, mas para nos mostrar que tinha assumido a nossa natureza humana para assim nos poder remir, e para dar autoridade à pregação de João Baptista.

Sendo impecável, não tinha necessidade nem obrigação de ser baptizado.
Cristo é o nosso Modelo.

Antes de nós, mesmo estando isento de todo o pecado, quis ser também baptizado para que o Seu baptismo nos servisse de exemplo.

Nele, toda a SS. Trindade estava presente :

- O Pai estava presente, pois se ouviu a Sua voz a dizer :

- Este é o meu Filho muito amado

- O Filho estava presente, pois estava a ser baptizado…

- O Espírito Santo estava presente, figurado na pomba que desceu e pairou sobre a cabeça de Jesus...

Quando Jesus desce ao rio Jordão, somos todos nós que com Ele vamos participar naquele encontro em que João Baptista, mais do que actor é testemunha.

Todos nós, sim, porque quando o Verbo Divino encarna não assume apenas a condição de filho do carpinteiro, Jesus de Nazaré.

Ele une-Se a cada um de nós e tudo o que faz envolve-nos a todos.

Com Ele todos descemos ao Jordão e com Ele de lá subimos recriados por um Baptismo que já não foi o de João, que era um Baptismo de purificação, mas o de Jesus, que era um Baptismo de renascimento e ponto de partida para uma nova história : Baptismo de água como o de João, sim, mas, acima de tudo, no Espírito.

Este acontecimento significa para cada um de nós a possibilidade de arrancar de novo, interiormente renascidos, para um novo programa de vida e de acção.

Tudo isto, graças ao excesso de Amor de Deus Pai, que, ultrapassando o regime da justiça meramente justiceira, perante a qual estávamos irremediavelmente perdidos, nos faz entrar no regime justificante, que nos assume como filhos e nos relança numa vida pascal de renascimento permanente, sem a qual não podemos fazer pate do plano da História da Salvação..

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...