Compartilhe

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Sugestão para Missa Solenidade de Pentecostes - Ano A - 12-Jun-2011


Sugestão para Missa Solenidade de Pentecostes - Ano A - 12-Jun-2011
- Recebei o Espírito Santo -

Esta semana estamos celebrando a Missa de Solenidade de Pentecostes, a Vinda do Espírito Santo. Hoje as leituras estarão todas voltadas para esse importante evento bíblico. A Partir da semana que vem estaremos de volta com as meditações semanais da Liturgia. Lembrando que a Liturgia de hoje foca em 2 temas principais que é o Envio do Espírito Santo sobre a Igreja e a ida dos discipulos em Missão para anunciar o Evangelho.

Uma dica que eu deixo para nossos irmãos ministros de músicas, para as músicas de Comunhão e Pós Comunhão não tocar músicas de clamor ao Espírito Santo, na comunhão estamos indo ao encontro de Jesus, recebê-Lo, verdadeiramente corpo, sangue, alma e divindade, e no Pós Comunhão devemos meditar Jesus que já está em nossa vida. Cantar músicas de clamor do Espírito Santo, seria como ignorar que o Deus Uno e Trino já está em nossa vida , na Eucaristia. É inconcebível, ficar cantando Vem Espirito Santo ou Batiza-me Espirito Santo, se Ele já está em nós, o Deus Trino já está em nossa vida pela Eucaristia.

Deixe sua mensagem em nosso Blog para sabermos como estamos ajudando e como podemos melhorar e contribua com nosso apostolado ajudando a divulgar nosso blog!

Obrigado Pax et Bonum

Rogério Hirota
Ministério Ressurreição - Jacareí-SP

DOMINGO DE PENTECOSTES - ANO A !
Autor: John Nascimento

A Liturgia da Palavra do Domingo de Pentecostes, é comum aos três Ciclos A, B e C, e diz-nos que a Igreja Vive no Espírito de Cristo.

Cinquenta dias após a Ressurreição de Jesus, quando estava a chegar ao seu termo o Pentecostes, festa com que o Povo de Deus celebrava o dom da Lei (cf.Lev.23,15-21), e da Aliança (cf.Deut.16,9-12), o Espírito Santo irrompe sobre os Apóstolos, transformando-os, radicalmente.
E toda a comunidade cristã (e não apenas o núcleo essencial da Igreja, formado pelos Apóstolos e a Mãe de Jesus) fica investida do poder do Espírito, enviado pelo Pai, para garantir a continuidade da missão do Filho.

Tendo por moldura a Aliança do Sinai, revela-se assim a nova Aliança entre Deus e o Seu Povo, Aliança que se caracterizará pela lei interna do Espírito. Nesse momento, o novo Povo de Deus, a Igreja fundada sobre os Apóstolos e marcada com o selo do Espírito, iniciava a sua arrancada, empreendia a sua aventura missionária.

É o primeiro dia da Igreja !

O Pentecostes (com a Ressurreição e a Ascensão) é, portanto, o início do tempo messiânico definitivo : nele se deu a efusão do Espírito, que é a característica dos últimos tempos (cf.Act.2,16).

A 1ª Leitura é dos Actos dos Apóstolos e diz-nos que, de harmonia com a promessa de Jesus, o Espírito Santo, manifestando a Sua presença sob os sinais sensíveis do vento e do fogo, desce sobre os Apóstolos, transforma-os totalmente e consagra-os para a missão, que Jesus lhes confiara.

- “Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que se exprimissem”.(1ª Leitura).

Com este Baptismo especial do Espírito Santo, nascia assim, oficialmente, a Igreja. Nesse dia, homens separados por línguas, culturas, raças e nações, começavam a reunir-se no grande Povo de Deus, num movimento que só terminará com a Vinda Final de Jesus.

Até lá, a Igreja continuará sempre a invocar e a pedir a vinda do Espírito Santo, como diz o Salmo Responsorial :

- “Mandai, Senhor, o Vosso Espírito e renovai a terra” !
Na 2ª Leitura, S. Paulo diz aos Coríntios, e hoje também a todos os povos, que o Espírito Santo é a alma da «Igreja».

É Ele que dá aos Apóstolos a perfeita compreensão do Mistério Pascal e os leva a anunciar a Ressurreição a todos os homens, sem excepção.

- “Na verdade, foi num só Espírito que todos nós fomos baptizados, para constituirmos um só corpo, Judeus ou Gregos, escravos ou homens livres. E a todos nos foi dado beber num único Espírito”.(2ª Leitura).

É por Ele que nós acreditamos que Jesus é Deus e essa nossa fé se mantém. É Ele que enriquece o Corpo Místico com dons e carismas, numa grande variedade de vocações, ministérios e actividades. É Ele que, ao mesmo tempo que nos distingue, dando-nos uma personalidade própria dentro da Igreja, nos põe em comunhão uns com os outros, de tal modo que a diversidade não destrói a unidade.

O Evangelho é de S. João que também nos diz que com a Páscoa se inicia a Nova Criação. E, como na primeira, também agora o Espírito Santo está presente, a insuflar aos homens, mortos pelo pecado, a vida nova do Ressuscitado.

- «Recebei o Espírito Santo : os pecados serão perdoados àqueles a quem os perdoardes; e ficarão retidos, àqueles a quem os retiverdes». (Evangelho).
Jorrando do Corpo Glorificado de Cristo, em que se mantêm as cicatrizes da Paixão, o sopro purificador e recriador do mesmo Deus comunica-se aos Apóstolos.
Não se pode deixar de ligar o acontecimento do Sinai com o de Jerusalém; a assembleia das doze tribos corresponde à dos Apóstolos, o novo Israel; fogo e vento manifestam a presença de Deus vivo; é dada a lei da Aliança, lei de liberdade que qualifica os filhos de Deus.

A Aliança, não mais limitada a um povo escolhido para dar a conhecer o verdadeiro Deus, é aberta a todos os povos e a todas as raças; não mais caracterizada por um sinal de carne (a circuncisão), ela é espiritual e exprime-se pela fé e pelo Baptismo (mesmo o de desejo); não mais renovada por homens mortais no decorrer da história, ela é fundada sobre Cristo “que permanece eternamente”. E, precisamente por ser espiritual e definitiva, a sua encarnação actual na Igreja do nosso tempo com as suas instituições e nas diversas Igrejas esparsas por toda a terra, com as suas peculiaridades, tem valor sacramental (isto é, traz verdadeiramente a salvação), mas também relativo e caduco.

É preciso, pois, não considerar absoluto e definitivo algo que não seja o próprio Espírito, realidade profunda e inexaurível de tudo o que constitui a vida da Igreja no tempo: acções sacramentais, hierarquia, ministérios e carismas, templos e lugares. Sobre o pluralismo da Igreja, diz o Concílio Vaticano II na sua Constituição Dogmática sobre a Santa Igreja :

- “E assim, o povo de Deus encontra-se entre todos os povos da terra, já que de todos recebe os cidadãos, que o são dum reino não terrestre mas celeste. Pois todos os fiéis espalhados pelo orbe, comunicam com os restantes por meio do Espírito Santo...Este carácter de universalidade que distingue o Povo de Deus é dom do Senhor; por Ele a Igreja católica tende eficaz e constantemente à recapitulação total da humanidade com todos os seus bens sob a Cabeça, Cristo, na unidade do seu Espírito”.(LG 13).

O Espírito Santo apoderou-se dos Apóstolos, a fim de que pudessem prolongar, a obra da Nova Criação e assim a humanidade, reconciliada com Deus, pudesse conservar sempre a paz, alcançada em Jesus Cristo e necessária para o cumprimento do plano da História da Salvação.
............................
Diz o Catecismo da Igreja Católica :
683. - «Ninguém pode dizer “Jesus é Senhor” a não ser pela acção do Espírito Santo»(1 Cor.12,3).«Deus enviou aos nossos corações o Espírito de Seu Filho, que clama : “Abbá! Pai”.(Gal.4,6). Este conhecimento de fé só é possível no Espírito Santo. É Ele que vem ao nosso encontro e suscita em nós a fé. Em virtude do nosso Baptismo, primeiro sacramento da fé, a vida, que tem a sua fonte no Pai e nos é oferecida no Filho, é-nos comunicada, íntima e pessoalmente, pelo Espírito Santo na Igreja.

737. – A missão de Cristo e do Espírito Santo completa-se na Igreja, corpo de Cristo e templo do Espírito Santo. Esta missão conjunta associa, a partir de agora, os fiéis de Cristo à sua comunhão com o Pai no Espírito Santo : O Espírito prepara os homens e previne-os com a sua graça para os atrair a Cristo. Manifesta-lhes o Senhor Ressuscitado, lembra-lhes a sua Palavra e abre-lhes o espírito à inteligência da sua morte e da sua Ressurreição. Torna-lhes presente o mistério de Cristo, principalmente na Eucaristia, com o fim de os reconciliar, de os pôr em comunhão com Deus, para os fazer dar «muito fruto». (Jo.15,5,8,16).

ENTRADA:
O Espírito de Deus - Monsenhor Jonas Abibs - cd, Vem Louvar I

Enviai - Eliana Ribeiro - cd. Barco a Vela



Estaremos aqui reunidos - Católicas
Sugestão: Tocar esta música num ritmo mais alegre, estilo quero te dar a paz , fica muito legal para o canto de entrada.


Celebrando o Pentecostes - Pe. Joãozinho-cd Louvores para Grupos de Oração 2


ATO PENITENCIAL:
Conheço um Coração - Pe. Joãozinho - cd. Conheço um coração


HINO DE LOUVOR:
Glória - Coral Filhos de Maria Imaculada - cd. O Grande Encontro

ACLAMAÇÃO:
Aleluia , O Espirito de Deus - Católicas


OFERTÓRIO:
Ó Pái que pelo Espírito - Católicas

SANCTUS:
Santo é o Senhor - Católicas

ABRAÇO DA PAZ:
A Paz esteja contigo - Adoradores em Verdade

COMUNHÃO:
Cantar a Beleza da Vida

Eucaristia Pão da Vida

PÓS-COMUNHÃO:
Vou assumir minha missão - Mariani - cd A Vitoria Alcançarás

Nossa Missão - Adriana - cd. Ao Vivo 2007

FINAL:
Nova Unção - Adriana - cd. Ao Vivo 2007


Derrama o teu amor aqui - Celina Borges - cd. Diamante Lapidado


Água Viva - Ministério Água Viva - cd. Em teus braços


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...